O que é um acorde relativo?

Fala tecladista! Aqui é a Raquel Xavier do Aprenda teclado para mais um artigo e hoje vamos conhecer os famosos acordes relativos.

Os acordes relativos são muito usados e conhecidos no meio musical;

É um tipo de assunto que você aprende depois de já ter iniciado a tocar e já tem um conhecimento sobre campo harmônico, então já reforço que é importante que você conheça o campo harmônico maior.

Caso você precise relembrar um pouco sobre o assunto é só clicar aqui.

Agora vamos ao assunto!

O ACORDE RELATIVO

Vamos ir para o início ok? Começando com o campo harmônico maior.

Vou usar o de dó para que seja mais acessível a todos.

Vamos lá, este é o campo harmônico de dó maior (C) com seus respectivos graus:

O tom gerador aqui é o Cmaj7, que é a tônica aqui. O Cmaj7 é um acorde maior então o acorde relativo dele será um acorde menor.

Aqui eu já abro pra uma observação: o acorde relativo de um acorde maior será menor. O acorde relativo de um acorde menor será maior. 😉

O acorde relativo é o sexto grau do campo harmônico, ou seja, o acorde que é o sexto grau no campo harmônico de dó é o Am7.

Se você tocar o acorde de Cmaj7 logo depois o de Am7 vai perceber que são acordes diferente mas “nem tanto”, porque ele tem uma certa ligação harmônica.

Para que você faça uma associação junto comigo, veja o que significa a palavra relativo:

RELATIVO adjetivo

  1. que exprime relação.
  2. que é julgado por comparação.
  3. MÚSICA diz-se da relação de terça menor entre o tom maior e o menor com mesma armadura de clave.

Se você for ver a definição musical pode confundir um pouco, como quero simplificar vamos usar a definição que exprime relação. Tudo que tem relação tem algo (mesmo que mínimo) em comum.

E é isso que acontece nos acordes relativos… mas aí você pode me perguntar: Mas Raquel, o que eles tem em comum?

O principal elemento em comum é a armadura de clave, ou seja, a quantidade de “acidentes musicais” são iguais.

COMPARANDO OS ACORDES

Na tonalidade de C não temos nenhum acidente, e na de Am natural também não! Isso faz com que os acordes gerados nos dois tons são os mesmos.

Vamos ver isso?

Olhe novamente o campo harmônico de dó maior:

Certo, agora vamos ver a escala de lá menor e logo em seguida os acordes que são formados por esta escala.

Escala menor natural de lá:

No teclado:

Agora veja o campo harmônico de lá menor natural:

Prepare-se para ver algo impressionante!

Fique atento, pegue sua caneta marca texto, caderno, apostila, não importa o que seja mas que você tenha como fazer a comparação entre os dois campos harmônicos.

Abaixo vou colocar o campo harmônico de dó maior e o campo harmônico menor natural de lá.

3…2…1… vamos lá!

CAMPO HARMÔNICO MAIOR DE DÓ

CAMPO HARMÔNICO MENOR NARTURAL DE LÁ

Vou dar um tempinho pra você observar e comparar…

Quer que eu ajude? Ok, vou facilitar um pouquinho.

Abaixo você vai ver o C.H. de dó e o C.H. menor natural de lá, só que o C.H. menor natural de lá eu vou organizar de uma forma diferente, vou começar com o dó, MAS ainda é o C.H. menor natural de lá, beleza?

Veja:

CAMPO HARMÔNICO MAIOR DE DÓ

CAMPO HARMÔNICO MENOR NARTURAL DE LÁ – começando pelo acorde de dó.

É isso mesmo!! Os acordes encontrados na tonalidade de lá menor são idênticos aos acordes da tonalidade de dó maior!!

Este é um dos motivos que eles são relativos.

Ah, e isso vai acontecer em qualquer tonalidade e com qualquer acorde relativo. 😉

DICA RÁPIDA

Para você encontrar o acorde relativo menor você vai diminuir um tom e meio do tom gerador.

Por exemplo, se o acorde é o Gmaj7 e queremos encontrar o relativo dele que é menor, vamos diminuir um tom e meio e encontrar o acorde.

Estamos no sol. Sol menos um tom e meio chegamos na nota mi. Como o relativo aqui tem que ser menor, o mi será: mi menor.

CONCLUINDO

Os acordes relativos são muito utilizados para rearmonização, na mudança de sensação do acorde ou harmonia. Se é um dos seus objetivos rearmonizar está no caminho certo!

Estude o que falamos aqui hoje e depois aplique em outras tonalidades para ganhar mais fluidez no assunto, combinado?

Se ficou com alguma dúvida pode deixar um comentário aqui embaixo 😉

Para você ver mais aulas e conteúdos sobre música, teclado e piano:

Faça o download grátis do livro “COMO TOCAR TECLADO BEM”.

Um abraço e até a próxima,
Raquel Xavier

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

VAMOS APRENDER TECLADO DE FORMA EMPOLGANTE?

Destrave o seu talento musical com este guia completo!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo