Não passe trabalho com as cifras

Não passe trabalho com as cifras
Fala tecladista! Tudo certo? Aqui é a Raquel Xavier, do Aprenda Piano para mais um artigo e hoje eu vou te mostrar como organizar as cifras para ficar mais fácil de ler!
Eu, particularmente, às vezes me perco ao ver a cifra de uma música muito longa, ou acompanhar a letra junto com a cifra.
Fica aquele vai e volta de olhar, olha pra mão direita, olha pra mão esquerda, toca, volta pra cifra… e agora? Aonde é que eu tava?
Pois é, quando tocamos junto com o áudio da música ou junto com outra pessoa dá pra perceber que parece que a gente está perdido.
Isso acontece porque a música não para! Ela não vai esperar você trocar de acorde, arrumar todos os dedos e aí sim voltar a tocar. 
Então vou te dar dicas que vão facilitar muito a sua leitura da cifras, vem comigo! 😉

Ouça bastante a música

É muito importante esse primeiro contato com a música, mais importante do que você imagina.
A conexão com a música vai além de saber tocar algum instrumento ou de entender sobre ela.
Mesmo uma pessoa que nunca teve contato com o mundo da música, consegue ter sensações ao ouvir um certo trecho musical.
Talvez seja estranho e até engraçado, mas nosso corpo ‘decora’ essas sensações, por mais que não entendamos o que está acontecendo musicalmente.
Por isso é  INDISPENSÁVEL que você ouça música (seja ela qual for), mas de preferência a que tem interesse em tocar!

Simplifique

Não, não é para simplificar os acordes hein! Estou falando de simplificar a cifra como um todo.
As repetições fazem com que a cifra fique enorme! Então, tudo que for repetição apague.
Tente otimizar a sua cifra, tenha como padrão fazer com que ela caiba em 1 ou 2 páginas, não mais que isso! 😉

Raquel, apaguei as repetições e agora, o que eu faço pra saber pra onde eu vou?

Eu defendo que, pelo menos, a sequência da música você tem que memorizar! Exercite seu cérebro para isso, é o mínimo.
Minha memória é horrível, a sua também?  Eu acredito que ela seja ruim por não exercitar ela para as coisas diárias, mas para música minha memória é ótima. 😛
Sim, são anos tocando, diversas experiências, mas só consegui chegar em um resultado bom depois de muitas tentativas!
Caso não esteja disposto a memorizar, te indico a descobrir um meio de anotar isso.
Seja com flechas, com marcações de “2x”, para que assim você não se perca.

Progressão por partes

Temos um caminhão de músicas que tem, no máximo, seis acordes e o que muda é a ordem.
Olhe com atenção a primeira parte da música e tente encontrar um padrão. Normalmente a sequência de acordes desta parte vai ser sempre a mesma.
Então o próximo passo é fazer o mesmo com o restante da música!
Você vai ver que às vezes a progressão de acordes se repete muitas vezes, logo, isso ajuda na memorização dos acordes.

Não deixa nada para trás

É fundamental anotar cada detalhe que ouviu!
No caso de estar aprendendo a música, enquanto ouve vá anotando o que é IMPORTANTE.
Por exemplo, depois do refrão a banda inteira vai fazer uma “frase”, ou seja, uma melodia, escreva na sua cifra onde essa frase vai acontecer. Se quiser anote até as notas que vão ser tocadas.
No caso de um ensaio, anote tudo o que for falado.
Em ensaios sempre acontece aquela mudança de ordem e de repetições, então anote e ao voltar para casa já comece tocando como a sua banda combinou de tocar.

Feio é tocar errado

Foi criado um “preconceito” sobre pessoas que tocam com cifras.
O que, inicialmente, se conclui é que quem usa cifras ou é um tecladista iniciante, ou não toca bem, ou ainda que parou no tempo.
Em partes pode ser verdade porque no início é difícil prestar atenção em tudo e ainda ter que decorar os acordes de uma música, então é fato que pessoas iniciantes usam cifras.
Agora, quanto ao “não toca bem” e ao “parou no tempo”, com isso eu não concordo, afinal, não é usar ou não usar cifras que irá definir sua qualidade musical
Por causa deste preconceito muitos músicos começaram a tocar sem cifras para tentar sair desse rótulo, mas acabam tocando procurando as notas no meio da música e estão sempre perguntando o tom e se perdendo durante as repetições.
Então do que adianta tocar sem cifra e ficar perdido? Tocar com cifra não é feio, feio é tocar errado! 😉
Se você precisa dela, use, escreva, não tenha vergonha, mas cuidado, não deixe a cifra te tornar preguiçoso.
Assim que você sentir que já consegue tocar sem olhar na cifra, faça isso, pois saiba que tocar sem cifra é algo libertador.

Veja você mesmo

Observe essas cifras, uma está crua e a outra otimizada, conforme conversamos.


Concluindo

Hora de ir para a prática! Perceba que ao otimizar as cifras, tudo irá ficar mais fácil na hora de acompanhar a música.
Então continue acompanhando conteúdos como esse em nossa página de artigos.
E saiba, que se você quer sair do “feijão-com-arroz” quando ao seu nível musical, o Piano Prime é o curso certo para você desenvolver sua musicalidade.
Abraço e até a próxima!
Raquel Xavier

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

VAMOS APRENDER TECLADO DE FORMA EMPOLGANTE?

Destrave o seu talento musical com este guia completo!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

PARTICIPE DO MEU GRUPO EXCLUSIVO NO TELEGRAM​

Clique abaixo para estudar comigo e receber os avisos das aulas diretamente no seu Telegram.