A música como estímulo para crianças com autismo

A música como estímulo para crianças com autismo
Fala tecladista! Como vai? Aqui é Heitor Carvalho, do Aprenda Piano, trazendo mais um artigo para você.
Que a música tem um papel importante na vida das pessoas isso muitos sabem, o que muitos não sabem é que essa importância vem se tornando algo especial.
Sim, algo especial. A música vem sendo uma forte aliada da medicina, através da musicoterapia.
A ação de usar músicas em tratamentos de determinados casos e com certos pacientes já acontece há algum tempo, porém com o avanço da tecnologia e das pesquisas, essa prática tem se tornado muito mais frequente.
Um dos quadros em que mais se recomenda o uso da música como forma de terapia é o do paciente diagnosticado com autismo, indiferente do grau do transtorno.

Imagine seu filho pequeno tocando piano! Viver essa alegria está a apenas 1 clique

Baixe meu livro gratuito agora

A relação entre autismo e música

O autismo ou o Transtornos do Espectro Autista – TEA, é um distúrbio que afeta o comportamento do cérebro, antes, durante ou logo após o nascimento.
Esses distúrbios geralmente se caracterizam pela dificuldade na comunicação social, e também pelos comportamentos repetitivos.
Ou seja, o autista pode apresentar dificuldades em entender o outro e se relacionar com alguém, pode ter dificuldade na fala; podendo variar desde não falar até ficar repetindo a mesma palavra. E também, desenvolver variações diferentes de comportamento, tornando-os mecânicos e repetitivos.
Felizmente a música vem trazendo motivos para quem convive com os autistas 24h por dia, sorrir e criar esperança.
Antes de contar como ela vem fazendo isso, é importante entender como a música é capaz.
Com a explicação, a musicista e neurocientista Viviane Louro:

“A música usa todas as regiões do cérebro e consegue remodelá-lo”.

A música ajuda todas as crianças. Mas, quando ela é autista, a sua ajuda pode ser ainda maior.

O uso da música na luta contra o autismo

Uma realidade é que hoje as crianças autistas que recebem tratamento terapêutico junto a música, estão tendo um melhor desenvolvimento, do que crianças autistas que fazem o mesmo tipo de tratamento porém com a ausência da musicoterapia.
Pesquisas realizadas por diversos países, incluindo o Brasil, mostram que este tipo de trabalho com crianças autistas tem sim a capacidade de desenvolver habilidades através da música.
Segundo especialista em Musicoterapia, professor Gustavo Schulz Gattino, pessoas com autismo tendem a contar com uma alta capacidade para percepção de melodias, além de que em função do contato com a música, conseguem relacionar emoções e sentimentos, assim facilitando a comunicação, algo tão difícil de ser feito por pessoas com autismo.
As pesquisas sobre a relação música e autismo segue em desenvolvimento, com o intuito de tentar tirar o máximo dos benefícios da música.
A procura por tratamentos através da música está apenas começando, já que estudos buscam tirar o máximo de benefícios da musicoterapia, o que alimenta essa procura pelos benefícios se dá por conta de o corpo humano ser estimulado através de sons.
A prova disso está no próprio ser humano, que desde o quinto mês de vida, ainda na vida intra-uterina, o nosso sistema auditivo já está apto para receber informações.
Reafirmando as pesquisas, recentes estudos de ressonância magnética funcional, tem mostrado que a música causa um efeito único em pessoas com autismo, em especial como forma de terapia.

A importância da música no dia a dia

Levando em consideração a importância da música para crianças, em especial para crianças autistas, podemos acompanhar o fortalecimento da prática da musicoterapia.
Porém se engana quem pense que a música só traz benefícios para esses casos ou para quem segue uma terapia musical.
As vantagens de se ter contato com a música são infinitos, seja para mim ou para você, a única diferença é que para crianças com até 7 ou 8 anos, ou crianças autistas, a importância é ainda maior.
Motivos como esse fazem com que apoiemos toda e qualquer prática de incentivo a música, e sabemos que o contato com a música pode acontecer de inúmeras formas.
Tem que prefira tocar seu instrumento, apreciar uma boa música, compor, e por aí vaí, existe um mar de possibilidades que propiciam o contato com a música.
Para se ter noção de como a música faz diferença em um dia de nossas vidas, faça um teste, pratique a mesma atividade que você faz ouvindo música, sem ouvir música.
O resultado desse teste, irá mostrar o quanto a música é importante para o seu dia a dia.
E agora faça uma reflexão:
Se a música já é muito importante para você, imagine para a formação de crianças com autismo?
Pense nisso e apoie o incentivo a música!

Muita gente pergunta como o João, de 9 anos, tá aprendendo teclado.
Nesse livro gratuito está o segredo!

Baixar minha cópia gratuita

Incentivando a prática da música

Como forma de incentivar a prática da música e seu consumo no dia a dia, recomendamos o contato com o piano ou o teclado.
Agora é com você, não esquecer de viver a música e com a música!
Forte abraço!
Heitor Carvalho

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

VAMOS APRENDER TECLADO DE FORMA EMPOLGANTE?

Destrave o seu talento musical com este guia completo!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

PARTICIPE DO MEU GRUPO EXCLUSIVO NO TELEGRAM​

Clique abaixo para estudar comigo e receber os avisos das aulas diretamente no seu Telegram.