Diferenciando: Escalas Simétricas e Assimétricas

Diferenciando: Escalas Simétricas e Assimétricas
Fala tecladista! Como você está? Aqui quem fala é o Augusto Canarin, do Aprenda Piano, e hoje nós vamos conhecer juntos a diferença entre as escalas simétricas e assimétricas.
Você vai perceber que, musicalmente na prática, esse conhecimento não influencia em muita coisa mas é sempre bom aprender conteúdos que possam elevar o seu conhecimento.
Essas escalas não são escalas que podem ser utilizadas mas apenas uma classificação para as escalas que já existem e que você talvez conheça.
Vamos aprender como elas funcionam e qual a diferença entre cada uma!

O QUE É SIMETRIA?

De acordo com algumas fontes científicas, simetria significa:

Objetos ou formas que possuem uma relação de paridade em respeito a altura, largura e comprimento das partes necessárias para compor um todo.

De uma forma menos complexa, simetria é tudo aquilo que é igual, independente da forma com que você olha.
Por exemplo: um círculo

Ele é simétrico em todos os lados, não importando a forma com que você olha pra ele.
Imagine uma linha cortando esse círculo.
Não importa onde a linha vai passar pelo círculo, ele sempre será simétrico.
Então, se nós pensarmos em escalas, funciona com a mesma análise.
Vamos estudar o processo de simetria das escalas, agora!

ESCALAS SIMÉTRICAS E ASSIMÉTRICAS

Como já mencionamos anteriormente, escalas simétricas e assimétricas são apenas uma nomenclatura de classificação das escalas existentes.
Por exemplo, as escalas maiores são escalas que possuem uma certa utilidade.
As escalas maiores estão inseridas nesse ambiente de simetria.
Todas as escalas, quando analisadas como um quebra cabeça e através do seu formato, pode ser classificada em simétrica ou assimétrica.
Vamos então ver quais escalas se encaixam em cada uma dessas classificações.

ESCALAS SIMÉTRICAS

Escalas simétricas são aquelas formadas por uma sequência de intervalos e quando tocadas tanto de forma ascendente quanto descendente, são iguais.
Falando de uma forma mais fácil de entender, é como se você tocasse a escala de cima pra baixo ou de baixo pra cima, sem qualquer alteração da sequência de formação.
Um dos exemplos mais famosos dentro do campo das escalas simétricas, é a escala diminuta.
A escala diminuta é formada por uma sequência de intervalos de tons e semitons. Veja:

TOM – SEMITOM – TOM – SEMITOM – TOM – SEMITOM – TOM

Analise essa sequência, tanto da direita pra esquerda quanto da esquerda pra direita.
O que você consegue perceber?
Exatamente, a sequência é igual independente da forma que você olha pra ela.
Veja por exemplo a escala diminuta de dó:

As notas da escala seguem a mesma ordem iniciando ou pela nota dó ou pela nota si.
Veja a comparação entre as duas formas de olhar a escala:

  • dó – ré – mib – fá – solb – láb – sibb – si
  • si – sibb – láb – solb – fá – mib – ré – dó

Independente da nota com que você comece a sua escala, ela segue a mesma ordem de intervalos.
Outra escala que funciona da mesma forma é a escala cromática.
A escala cromática é formada apenas por intervalos de semitons.

Então, de qualquer forma que você tocar a escala, as notas irão estar dentro da sequência de semitons.
Quer mais um exemplo? A escala hexafônica, formada apenas por tons inteiros.

TOM – TOM – TOM – TOM – TOM – TOM

Escala hexafônica de dó:

Essa é a ideia principal das escalas simétricas!
Obviamente, se as escalas simétricas funcionam dessa forma, as assimétricas seriam o contrário, correto?

ESCALAS ASSIMÉTRICAS

Podemos dizer que as escalas assimétricas, são quase todas aquelas que conhecemos.
É muito mais difícil você encontrar uma escala que seja simétrica e que tenha essa ideia de igualdade. As escalas assimétricas são muito mais comuns.
As escalas mais utilizadas na música e as mais conhecidas, são formadas por intervalos diferentes se analisados das duas formas.
Por exemplo, as escala maiores são formadas por:

TOM – TOM – SEMITOM – TOM – TOM – TOM – SEMITOM 

A escala maior de dó, nesse caso:

Se você fizer a mesma análise, iniciando pela nota dó final, você vai ver que a ordem dos intervalos já muda:

SEMITOM – TOM – TOM – TOM – SEMITOM – TOM – TOM

As escalas assimétricas são as mais encontradas na música porque o normal de uma escala é ser diferente, na sua ordem de intervalos.
Podemos então dizer que as escalas simétricas são mais raras de serem encontradas na música.
Outras escalas como as escalas menores, escala alterada, também são todas consideradas assimétricas pelo simples fato de suas notas não seguirem a mesma simetria em todos os lados.
É como se você pegasse os intervalos que formam cada escala e cortasse eles no meio, da mesma forma que foi feito com o círculo.
Se ambas as partes ficaram iguais, você tem uma escala simétrica.
Essa nomenclatura serve apenas para conhecimento geral, nada que interfira muito no seu dia a dia, ou na música prática.

FINALIZANDO

E então tecladista, o que você achou das escalas simétricas e assimétricas?
É muito mais fácil aprender dessa forma, analisando exemplos e escalas que eu tenho certeza que você já viu, pelo menos alguma vez.
Para finalizar de verdade, recomendo que você conheça nossos cursos online e fique por dentro do nosso Universo Musical.
Forte abraço e bons estudos!
Augusto Canarin

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

VAMOS APRENDER TECLADO DE FORMA EMPOLGANTE?

Destrave o seu talento musical com este guia completo!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo