Como utilizar as Target Notes em uma música?

Como utilizar as Target Notes em uma música?
Fala tecladista! Tudo bem? Aqui quem fala é o Augusto Canarin, do Aprenda Piano e no artigo de hoje nós vamos explorar a ideia das notas de destino, aprendendo de forma prática como utilizar as target notes.
Caso você ainda não saiba, as target notes são as notas utilizadas para formar um acorde, consideradas as mais importantes na hora de um improviso.
Então, por exemplo, você está tocando o acorde de ré. As principais notas que você pode utilizar para improvisar sobre esse acorde são as notas: ré – fá# – lá (notas que formam o acorde).
Se você desejar estudar as Target Notes mais a fundo, acesse:

Nesse artigo você vai aprender, de forma funcional, como aplicar esse conhecimento nas músicas. Então, vem comigo!

COMO UTILIZAR AS TARGET NOTES

Entenda que esse artigo é um complemento prático sobre o conceito teórico das target notes.
Nós temos, 6 formas de utilizar as notas de destino, ou melhor, formas de como aproveita-las em um solo ou em uma improvisação.
São elas:

  1. Escala Crescente
  2. Escala Decrescente
  3. Junção: Crescente e Decrescente
  4. Cromatismo
  5. Graus Conjuntos x Graus Disjuntos

Preparado para começar a aplicar esse conhecimento em diversas músicas as quais você toca?
Em todos os exemplos nós vamos usar 4 acordes dentro do campo harmônico de ré:

D – G – Bm – A

  • Acorde de D: Ré – Fá# – Sol
  • Acorde de G: Sol – Si – Ré
  • Acorde de Bm: Si – Ré – Fá#
  • Acorde de A: Lá – Dó# – Mi

Vamos então iniciar os nossos estudos! 😉

#1 – ESCALA CRESCENTE

A primeira forma para aplicar as target notes é utilizando a escala maior natural de forma crescente.
Sabemos que, as notas de destino são o nosso objetivo em uma improvisação, ou seja, tudo que fizermos no nosso improviso será visando chegar até essas notas.
Então, nesse primeiro tópico você vai improvisar sempre tocando a nota que antecede a nota principal e fazendo isso de forma crescente.
Por exemplo: Acorde de D (Ré – Fá# – Lá)
Você vai tocar a nota dentro da escala que vem antes de cada uma das target notes.
Analise a Escala maior de Ré:

Ré – Mi – Fá# – Sol – Lá – Si – Dó# – Ré

Improvisando sobre o acorde de ré, você precisará tocar as notas que antecedem o 1º, 3º e 5º grau da escala.
Nesse caso, ficará assim:

  • Dó# – Ré
  • Mi – Fá#
  • Sol – Lá

Porém, você não precisa fazer isso na ordem de primeiro, terceiro e quinto grau, mas sim variar a sequência com as notas permitidas.
Você pode mesclar o improviso dessa forma:

  • Sol – Lá – Dó# – Ré – Mi – Fá#


Essas são as notas que podem ser utilizadas no improviso, sobre o Acorde de Ré (D).
Então, aplicando a técnica da escala crescente sobre os 4 acordes (D – G – Bm – A), temos:

  • Acorde de D: Dó# – Ré / Mi – Fá# / Sol – Lá
  • Acorde de G: Fá# – Sol / Lá – Si / Dó# – Ré
  • Acorde de Bm: Lá – Si / Dó# – Ré / Mi – Fá#
  • Acorde de A: Sol – Lá / Si – Dó# / Ré – Mi

A regra é simples: improvisar com as notas que antecedem as target notes.
Agora se surgir a dúvida de como utilizar as target notes você já sabe, pelo menos, uma das formas possíveis.

#2 – ESCALA DECRESCENTE

Nesse segundo formato para utilizar as target notes, você vai fazer tudo da mesma forma que no tópico anterior.
Vai utilizar a mesma escala maior, porém o que vai mudar serão as notas de preparação para as notas principais, pois agora vamos trabalhar com a escala decrescente.
Então, para a nota ré você não vai mais utilizar a nota que vem antes dela (Fá#) mas sim a nota que vem depois, ou seja, a nota Mi.
Essa vai ser a única alteração! Improvisar com as notas que vem depois das Target Notes.
Veja o exemplo:

  • Acorde de G: Lá – Sol / Dó# – Si / Mi – Ré

Obviamente, você continuará respeitando as notas dentro da escala de Ré (tonalidade utilizada em todos os exemplos).
Dessa forma, utilizando a escala de forma decrescente, você tem:

  • Acorde de D: Mi – Ré / Sol – Fá# / Si – Lá
  • Acorde de G: Lá – Sol / Dó# – Si / Mi – Ré
  • Acorde de Bm: Dó# – Si / Mi – Ré / Sol – Fá#
  • Acorde de A: Si – Lá / Ré – Dó# / Fá# – Mi

O que você vai mudar são as notas de preparação!
Ao invés de usar as notas que vem antes das target notes, você vai usar as notas que vem depois e aí sim resolver em cada uma das notas de destino.

#3 – JUNÇÃO: CRESCENTE E DECRESCENTE

Agora é hora de você mesclar os dois tópicos anteriores!
O que você vai fazer agora para improvisar é mesclar, da forma como você quiser, as notas que vem antes ou depois das target notes.
Então, por exemplo:

  • Acorde de Bm: Dó# – Si / Mi – Fá# / Dó# – Ré

Você vai mesclar as duas nota, antes e depois, de cada nota principal do acorde.
Cada target note, terá nesse caso duas notas para chegar até ela.
Um acorde, contando com as notas de destino e as de preparação, terá:

3 Target Notes + 2 notas de preparação para cada nota principal

Agora é com você! Faça a sua mescla de notas, da forma como você preferir e crie os mais incríveis improvisos.

#4 – CROMATISMO

Para entender como utilizar as target notes, também é preciso sair do comum, do básico.
E para que isso aconteça, você precisa esquecer nesse momento as escalas maiores e as regras por trás disso tudo.
Na verdade você vai continuar utilizando uma escala no processo, porém ao invés da escala maior será a escala cromática.
A escala cromática é formada apenas por semitons, então para chegar até as notas de destino, você vai tocar um semitom antes ou um semitom depois, de cada nota principal.
Se a sua nota principal (target note) for a nota Fá#, você poderá usar:

  • Fá (semitom abaixo) ou Sol (semitom acima)

Com todas as Target Notes será assim. Veja então quais as notas que você poderá utilizar:

  • Acorde de D: Ré (Dó# / Ré#) – Fá# (Fá / Sol) – Lá (Sol# / Lá#)
  • Acorde de G: Sol (Fá# / Sol#) – Si (Lá# / Dó) – Ré (Dó# / Ré#)
  • Acorde de Bm: Si (Lá# / Dó) – Ré (Dó# / Ré#) – Fá# (Fá / Sol)
  • Acorde de A: Lá (Sol# / Lá#) – Dó# (Dó / Ré) – Mi (Ré# / Fá)

#5 – GRAUS CONJUNTOS x GRAUS DISJUNTOS

Para finalizar o nosso artigo prático, vamos analisar os graus conjuntos e os graus disjuntos, para utilizarmos também em uma improvisação.

GRAUS CONJUNTOS

Os graus conjuntos são todas as notas que pertencem a escala maior, antes ou depois das notas de destino.
Só que dessa vez, você não vai utilizar apenas uma nota antes ou depois mas sim um conjunto delas.
Então, para chegar até a nota principal do acorde de lá, você pode utilizar conjuntos de notas da escala de ré maior:

  • Mi – Fá# – Sol – Lá
  • Ré – Dó# – Si – Lá

Esses foram dois exemplos super básicos, porém foi só para demonstrar a ideia.
Não precisa ser necessariamente quatro notas, não precisa estar em ordem, mas sim que você utilize a escala e várias notas dela para chegar até as Target Notes.
Essa é uma forma bem mais livre de como utilizar as target notes! Improvisar com todas as notas da escala, trabalhando em conjunto.

GRAUS DISJUNTOS

Os graus disjuntos são aqueles que não estão em ordem, mas sim de forma aleatória.
Pra você preparar a nota ré, não precisa utilizar o dó sustenido ou o mi, mas pode utilizar a nota lá, por exemplo, para chegar até o ré.
Esse é o conceito dos graus disjuntos.
Tocar uma nota qualquer da escala e depois a nota principal.
Então, no acorde de G (Sol):

  • Ré – Sol / Fá# – Si / Dó# – Mi

Notas aleatórias, disjuntas que antecedem as target notes.
Com isso nós encerramos as formas mais conhecidas de como utilizar as target notes em uma música!

FINALIZANDO

E então tecladista, o que você achou das maneiras de como utilizar as target notes?
Recomendo que você acesse nossa página com cursos online e outros materiais educativos.
Espero ter ajudado você em mais essa etapa!
Um forte abraço e bons estudos,
Augusto Canarin

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

VAMOS APRENDER TECLADO DE FORMA EMPOLGANTE?

Destrave o seu talento musical com este guia completo!

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo